MEU PASSADO ME CONDENA - Ecos de uma época atravessada pelo preconceito


Dirk Bogarde em Meu passado me condena

Se hoje em dia a homofobia, apesar de combatida, continua gerando atos extremamente violentos, há apenas algumas décadas uma lei determinava que manter relações homossexuais era crime. “Meu passado me condena” (título brasileiro pouco inspirado para o original, “Victim”), de Basil Dearden, produção de 1961, remete diretamente ao período anterior à extinção da tal lei, na Inglaterra e no País de Gales, em 1967.


A história gira em torno de personagens chantageados por serem homossexuais – em especial, Jack Barrett (Peter McEnery), que teve vínculo amoroso com o protagonista do filme, o célebre advogado Melville Farr (Dirk Bogarde). Acossado, Barrett procura constantemente Farr, que não o ajuda por achar que o ex-amante quer extorqui-lo. O suicídio de Barrett, após ser preso, desencadeia em Farr uma culpa logo transformada em ação. A partir desse momento, Farr não economiza esforços para denunciar os chantagistas, mesmo colocando em risco seu sucesso profissional e o casamento com a professora Laura (Sylvia Syms).


Escorado no roteiro de Janet Green e John McCormick, Dearden estrutura o filme como um thriller marcado por trama dotada de eventuais desdobramentos e ritmo ágil. Contudo, se distancia desse gênero ao suprimir, por exemplo, o que acontecerá no tribunal, no desfecho. À medida que a projeção avança, o diretor se aproxima do registro dramático ao valorizar, cada vez mais, os conflitos de Farr, decidido a lutar contra o preconceito – sem, porém, coragem para assumir a própria sexualidade (“Eu posso compartilhar seus instintos, mas sempre resisti a eles”, diz, diante de outros homossexuais) – e confrontado, ainda que de maneira afetuosa, por Laura.


13/4 - sábado – 17h

Meu passado me condena (Victim), de Basil Dearden (UK, 1961). Com Dirk Bogarde, Sylvia Syms, Dennis Price.

Drama. Sinopse: Após o suicídio de seu amante, o respeitado advogado Melville Farr arrisca a carreira e o casamento para confrontar uma rede de chantagem contra homossexuais. O filme aborda temas gays na época em que o homossexualismo era crime na Inglaterra. 90 minutos. 14 anos.


Alusões Homoeróticas do Cinema Clássico

Cinemateca do MAM

De 8 a 14 de abril

Ingressos gratuitos

Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 - Praia do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ, 20021-140

Telefone: (21) 3883-5630



Posts Recentes