June 4, 2020

December 16, 2019

September 25, 2019

Please reload

Posts Recentes

Um rebolado a três

July 31, 2019

Só o fato de ter produzido “Gallipoli” (1981), espécie de “Deus e o Diabo na Terra do Sol” do cinema novo australiano, já seria suficiente para tornar a carreira de Robert Stigwood (1934-2016) digna de respeito, sem contar os créditos que recebeu por “Quando as metralhadoras cospem” (1976) e “Evita” (1996), ambos do (hoje injustiçado) inglês Alan Parker. Só que em sua trajetória na produção de espetáculos musicais, carreiras fonográficas e filmes ele ainda deu a Norman Jewison a chance de rodar “Jesus Cristo Superstar” (1973) e uniu forças com o mefistofélico Ken Russell (1927-2011) para levar “Tommy”, a ópera roqueira, às telas. Porém o que tornou Stigwood um personagem memorável para a cultura pop foi o trinômio formado por ele, Olivia Newton-John e John Travolta numa seleção de filmes, lançados de 1977 a 1983, que reinventaram a representação da era disco, da inocência das baladas da década de 50 e até a cultura country. O ponto comum: um heroísmo malandro, próximo ao dos heróis picarescos da cultura ibérica, que usavam a manha da vivência das ruas a fim de driblar as adversidades, e um tom quase fabular nas situações românticas.

 

Tudo começou quando Travolta, egresso de um sucesso de TV (“O rapaz da bolha de plástico”), foi escalado para protagonizar uma versão para as telas do artigo de jornal “Tribal Rites of the New Saturday Night”, de Nik Cohn, dando vida a um ás da dança nas discotecas de NY: Tony Manero. John Badham, um diretor de TV inglês conhecido pelo telefilme “Isso não é mesmo chocante?” (1973), assumiu o projeto. “Já nas primeiras conversa com Stigwood chegamos a um acordo de que deveríamos rodar essa ficção como se fosse um documentário, com o uso de câmera na mão, para transmitir uma liberdade e um desprendimento de olhar capaz de traduzir as inquietações da juventude de então, que fazia das casas noturnas a rede social dos anos 1970”, conta Badham, em entrevista à Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ).

 

Sob a fina direção de Badham, o projeto, batizado de “Os embalos de sábado à noite”, custou US$ 3 milhões e faturou US$ 237 milhões, valendo a Travolta uma indicação ao Oscar, o que fez dele o astro jovem do momento. Mina de ouro viva, o rapaz não podia sair do escopo de Stigwood, que resolveu capitalizar em cima do sucesso do ator como cantor (no LP “Whenever I’m away from you”), e escalá-lo para um musical. A atração escolhida para fazer Travolta dar seus dós de peito nas telas foi a versão de um espetáculo musical de 1972, “Grease”. E, para fazer frente a ele, era necessário uma mocinha igualmente carismática, que Stigwood foi buscar em sua Austrália natal: Olivia Newton-John. Embora seja inglesa de berço, nascida em Cambridge, Olivia foi viver em solo aussie aos cinco anos. Fez um teste para o papel de Sandra Dee numa cena de drive-in na qual não conseguiu abrir mão de seu sotaque outback. A saída de Sitgwood: transformar sua personagem numa australiana transferida a um colégio americano dos anos 1950. Orçado em US$ 6 milhões, esta produção da Paramount dirigida por Randal Kleiser teve um faturamento de US$ 395 milhões nas bilheterias.

 

Stigwood parecia um midas naquele momento, até que seus astros fracassaram no corpo a corpo com as plateias: Travolta em “A cada momento” (1978), que era projeto do produtor; Olivia em “Xanadu” (1980), hoje um cult, que ficou aquém da renda esperada. O festejado “O fã: obsessão cega” (1981), com Lauren Bacall, limpou a barra de Stigwood com a indústria, pois ele tinha em mãos um projeto de respeito. Mas ele não largou Travolta, apostando na volta de Tony Manero em “Staying alive” (1983), que Sylvester Stallone dirigiu. Mas o prestígio do filme original ficou para trás. No mesmo ano, Olivia e Travolta uniram forças em “Embalos a dois”, de John Herzfeld, mas o retorno de bilheteria também não veio. Mas escolhas infelizes e desacertos com o paladar do público não tiram o viço do legado desse trio, agora ao alcance das telas da Cinemateca do MAM.

 

Cinemateca do MAM

Ingressos gratuitos

Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 - Praia do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ, 20021-140

Telefone: (21) 3883-5630

 

5/8 – segunda-feira – 18h30

Abertura com Hernani Heffner e Mario Abbade

Os embalos de sábado à noite (Saturday night fever), de John Badham (EUA, 1977). Com John Travolta, Karen Lynn Gorney, Barry Miller.

 

Drama/Música. Sinopse: Levando uma vida tranquila e ainda morando com os pais, Tony trabalha em uma loja de tintas no Brooklyn. Nos fins de semana, ele se veste bem e vai com amigos à discoteca, onde se inscreve num concurso de dança prestes a começar. 118 min. 14 anos.

 

 

6/8 – terça-feira – 18h30

Grease: Nos tempos da brilhantina (Grease), de Randal Kleiser (EUA, 1978). Com John Travolta, Olivia Newton-john, Stockard Channing.

 

Musical/Romance. Sinopse: Na Califórnia de 1959, a boa moça Sandy e o metido Danny se apaixonam e aproveitam um verão inesquecível na praia. Quando voltam às aulas, eles descobrem que frequentam a mesma escola. Danny lidera a gangue dos T-Birds, um grupo que gosta de jaquetas de couro e muito gel no cabelo, e Sandy passa tempo com as Pink Ladies, lideradas pela firme e sarcástica Rizzo. Quando os dois se reúnem, Sandy percebe que Danny não é o mesmo por quem se apaixonou, e ambos precisam mudar caso queiram ficar juntos. 110 min. 14 anos.

 

 

7/8 – quarta-feira – 18h30

Xanadu, de Robert Greenwald (EUA, 1980). Com Olivia Newton-John, Gene Kelly, Michael Beck.

 

Fantasia/Musical/Romance. Sinopse: Kira, deusa grega da dança, vem à Terra ajudar o artista Sonny Malone a realizar seu grande sonho de abrir uma inovadora casa noturna. O experiente dançarino Danny McGuire também contribui na empreitada, mas tudo se complica quando Kira acaba se apaixonando por Sonny, contrariando as ordens de Zeus. 96 minutos. 14 anos.

 

 

8/8 – quinta-feira – 18h30

Grease 2: Os tempos da brilhantina voltaram (Grease 2), de Patricia Birch (EUA, 1982). Com Michelle Pfeiffer, Maxwell Caulfield, Lorna Luft.

 

Comédia/Drama/Musical. Sinopse: Um novo aluno que acaba de chegar da Inglaterra se apaixona por uma jovem da escola que sonha em ter um namorado motoqueiro. Para impressioná-la, ele junta dinheiro e compra uma motocicleta, mas mantém sua verdadeira identidade em segredo. 115 minutos. 14 anos.

 

 

9/8 – sexta-feira -18h30

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, de Michael Schultz (EUA, 1978). Com Peter Frampton, Barry Gibb, Robin Gibb, Maurice Gibb, Steve Martin, Alice Cooper.

 

Aventura/Comédia/Fantasia. Sinopse: Banda de uma pequena cidade faz sucesso com o público, até ser descoberta por um grande empresário e perceber que o representante da indústria quer dominá-la. 113 minutos. 14 anos.

 

 

10/8 – sábado – 16h

Os embalos de sábado continuam (Staying alive), de Sylvester Stallone (EUA, 1983). Com John Travolta, Cynthia Rhodes, Finola Hughes.

 

Drama/Música/Romance. Sinopse: Seis anos após seu triunfo em um concurso de dança de discoteca, Tony Manero trabalha como um professor de dança em Nova York e sonha em se apresentar na Broadway. Tony tem a sua chance quando sua namorada Jackie consegue que ele faça um teste para um ousado show. Tony consegue uma participação como dançarino e cai nos velhos hábitos quando ele cobiça Laura, uma menina má. 93 minutos. 14 anos.

 

 

10/8 – sábado – 18h

A cada momento (Moment by moment), de Jane Wagner (EUA, 1978). Com Lily Tomlin, John Travolta, Andra Akers.

 

Drama/Romance. Sinopse: Beverly Hills. Trisha Rawlings é uma rica dona-de-casa que tenta inutilmente em uma drogaria comprar pílulas para dormir sem receita. Neste instante Strip Harrison corta a conversa que ela está tendo com o farmacêutico para perguntar sobre um amigo dele. Isto a deixa irritada e seu humor fica ainda pior quando Strip começa a segui-la, para puxar conversar e agradecer sobre algo que ela nem lembrava mais. Sabendo que ela ficará na casa de praia, Strip aparece por lá com um vidro com algumas pílulas para dormir. Inicialmente ela recusa, mas acaba aceitando e aos poucos vai se sentindo atraída por ele. 102 minutos. 14 anos.

 

 

11/8 – domingo – 16h

Embalos a dois (Two of a kind), de John Herzfeld (EUA, 1983). Com John Travolta, Olivia Newton-John, Charles Durning.

 

Comédia/Fantasia/Romance. Sinopse: Quando deus decide eliminar a humanidade através de outro dilúvio, uns poucos anjos tentam dissuadi-lo e Ele concorda em adiar sua decisão por uma semana se dois humanos decentes forem encontrados. Escolhem então um inventor frustrado, Zack, que com tantas dívidas decide assaltar um banco. A outra escolhida é Debbie, a caixa deste banco, uma jovem pretensiosa que sonha ser atriz. 88 minutos. 14 anos.

 

 

11/8 – domingo – 18h

Cowboy do asfalto (Urban cowboy), de James Bridges (EUA, 1980). Com John Travolta, Debra Winger, Scott Glenn.

 

Drama/Romance/Western. Sinopse: O vaqueiro Bud Davis começa a frequentar um bar local, onde conhece Sissy, uma mulher independente que acredita na igualdade dos sexos. Os dois se apaixonam e se casam, mas têm um relacionamento complicado, já que Bud não aceita a independência de Sissy. Eles se separam, mas Bud tenta reconquistar o amor de sua vida ao disputar uma competição de touro mecânico. 132 minutos. 14 anos.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 1982 - 2021 Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro