Homenagem a Kirk Douglas

Por Bruno Giacobbo

O adeus do último durão

Quando o American Film Institute (AFI) divulgou, em 15 de junho de 1999, a lista das 50 maiores lendas da história de Hollywood, Kirk Douglas estava lá, na 17a colocação entre 25 homens, à frente de James Dean, Buster Keaton e Sidney Poitier. Sua simples aparição em um grupo tão seleto já seria suficiente para definir sua importância artística. Entretanto, para além disso, ele deixou uma imagem erigida a partir de uma filmografia que contabiliza 117 participações como ator em produções diversas.

 

Filho de bielorrussos, Douglas nasceu Issur Danielovitch Demsky, em Nova York. Mudou de nome quando ingressou na Marinha americana, às vésperas da Segunda Guerra. Teve uma breve carreira militar, chegando ao posto de tenente. Mais tarde, já uma estrela, em “Glória feita de sangue” (1957), de Stanley Kubrick, viveu um coronel que atua como advogado de três soldados prestes a serem condenados à morte por um erro que não cometeram. Douglas é considerado um dos maiores durões da história do cinema.

 

Sujeitos viris – a imagem de Kirk Douglas, forjada durante os anos como militar e também como boxeador amador, está ligada a esses tipos. De novo com Kubrick, deu vida ao homem que desafiou o Império Romano ao liderar uma rebelião de escravos em “Spartacus” (1960). O filme foi um sucesso e venceu quatro Oscars. E se na ficção ele desafiou os romanos, nos bastidores peitou a intolerância ideológica usando seu poder como produtor para creditar Dalton Trumbo, um roteirista proscrito de Hollywood pelo macarthismo.

 

Douglas podia ser um herói à frente e atrás das câmeras, mas isso não o impedia de interpretar outros papéis, desde que estes não se descolassem de sua imagem. Em “A montanha dos sete abutres” (1951), de Billy Wilder, foi o jornalista Chuck Tatum, um tipo inescrupuloso e muito durão. No fim do filme, depois de se promover à custa dos outros, o repórter busca a redenção quando se depara com uma tragédia iminente. Para se salvar, ele está disposto a tudo, inclusive envergar e quebrar, pois os durões também envergam e quebram.

 

Em 2020, Kirk Douglas morreu com 103 anos de uma vida plena e feliz, deixando para trás seus filmes e suas ótimas recordações.

A Montanha dos 7 Abutres (Ace in the Hole, 1951). 
Direção: Billy Wilder. Elenco: Kirk Douglas, Robert Arthur, Jan Sterling.

Drama. Sinopse: Após ser demitido de 11 jornais por causa de seu temperamento difícil, Chuck Tatum se muda para Albuquerque para trabalhar no jornal local, mas o tempo passa sem nenhuma matéria interessante que possa lhe dar alguma projeção. Escalado para cobrir uma corrida de cascavéis, o jornalista se depara com uma história interessante sobre um homem que ficou preso no túnel de uma caverna ao procurar relíquias indígenas. No intuito de se promover às custas da história, Chuck transforma o resgate num circo midiático que passa a lhe consumir aos poucos. 111 minutos. 14 anos.

montanha-dos-sete-abutres.jpg