Os melhores filmes de 2008

Por Mario Abbade e Maria Silvia Camargo

Por que escolher dez filmes entre os quase 330  lançados ano passado e exibi-los novamente?   Há oito anos a ACCRJ realiza a eleição e a Mostra “Os Melhores Filmes do Ano” com o intuito de aprofundar o diálogo do público com o que de melhor se exibe nos cinemas brasileiros. Não é justo que o já clássico “Sangue Negro”, de Paul Thomas Anderson, por exemplo, não possa ampliar sua audiência. Ou que – como vai acontecer domingo (dia 29/3) – não se possa debater  “Não Estou Lá”, de Todd Haynes, que alguns consideram  uma ótima biografia do irretratável Bob Dylan e outros...um Frankstein! Ou que se pense a eleição de um único filme nacional, “Estômago”, de Marcos Jorge. Pode-se discutir tudo - inclusive  porque  os membros da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro não destacaram dez outros filmes no lugar destes.

O que não pode é faltar é  tempo e espaço para que os críticos do Rio de Janeiro (únicos representantes brasileiros na crítica internacional, filiados à FIPRESCI) se encontrem com o público, que todos os anos prestigia a Mostra em sessões lotadas. Por isto agradecemos ao convite do nosso membro José Carlos Avellar para fazer parte da programação do aconchegante cinema do Instituto Moreira Salles, do qual ele agora é consultor.

Do vazio dos adolescentes de “Paranoid Park” ao olhar poético de Julian Schnabel em “O Escafandro e a Borboleta”, passando pelo deboche do eternamente jovem Sidney Lumet em “Antes Que o Diabo Saiba Que Você Está Morto”, entre outros, a Mostra tem ecletismo o suficiente para mobilizar e incentivar quem quiser refletir sobre o que se divulgou nos cinemas. Que esta Mostra e muitas outras voltem a ser um hábito no calendário cultural carioca.

Maria Silvia Camargo e Mario Abbade

Organizadores da Mostra e Membros da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ)

2008.jpg