"Retrato de uma jovem em chamas" é eleito o melhor filme do ano pela ACCRJ




A Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro - ACCRJ - reuniu os membros neste sábado, virtualmente, para escolher os melhores filmes de 2020, um ano gravíssimo na saúde pública, por conta da pandemia, em especial no Brasil.


Por conta das dificuldades decorrentes da pandemia, adiamos a votação, mas chegamos hoje a uma lista de 10 filmes exibidos nos cinemas e em diversas plataformas que reforçam a resistência criativa e a excelência desses cineastas.


Melhores do Ano - Seleção ACCRJ 2020


Retrato de Uma Jovem em Chamas, de Céline Sciamma - melhor filme do ano


1917, de Sam Mendes


Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: parou, de Bárbara Paz


Destacamento Blood, de Spike Lee


O Farol, de Robert Eggers


O Homem Invisível, de Leigh Whannell


Joias Brutas, de Josh Safdie e Ben Safdie


Pacarrete, de Allan Deberton


O Som do Silêncio, de Darius Marder


Soul, de Pete Docter e Kemp Powers


As homenagens póstumas serão dedicadas ao ator e diretor José Mojica Marins, o Zé do Caixão, ao ator Flávio Migliaccio, ao maestro Ennio Morricone e aos atores Kirk Douglas e Sean Connery.


Vamos homenagear também o compositor Aldir Blanc, um dos maiores criadores da nossa música brasileira, personalidade influente nos debates sobre o país, e que, de forma representativa, deu nome à Lei Aldir Blanc, de auxílio ao meio cultural, profundamente afetado pela pandemia.


A melhor iniciativa vai para as ações do diretor e produtor cultural Cavi Borges que mostrou uma capacidade de resistência cultural admirável com abertura de novo espaço e campanhas de arrecadação de alimentos para quem mais precisa nesses tempos tão difíceis.

Posts Recentes

© 1982 - 2021 Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro